Overtraining

Treinar todos os dias pode ser mal? Você já deve ter escutado o termo “Overtraining”. Se nunca escutou passo a explicar.

/

Treinar todos os dias pode ser mal?

Você já deve ter escutado o termo “Overtraining”. Se nunca escutou passo a explicar.

“Overtraning” ocorre quando o atleta/aluno faz uma quantidade de exercícios superior a capacidade de recuperar do estímulo dado. Na realidade o processo de “overtraining” não deve ser relacionado apenas com a quantidade / intensidade de treinamento. Isso porque o processo de recuperação sofre influência de outros fatores, como alimentação e sono. A literatura mais atualizada (J Sports Sci. 2018) fala em “Overtraining Syndrome” definida como um desequilíbrio entre o treinamento, a nutrição e o descanso, que leva à diminuição do desempenho e acréscimo da fadiga e consequentemente dificuldade em atingir objetivos traçados.

 

As causas fisiológicas e metabólicas:

- Elevação do nível do cortisol (estimula a quebra de proteínas, gorduras e providencia a metabolização da glicose no fígado. Considerado o hormônio do stress, ativa respostas do corpo ante situações de emergência para ajudar a resposta física aos problemas;

- Déficit proteico;

- O catabolismo (reações de quebra de moléculas para produzir energia) supera o anabolismo (reações de síntese de substâncias);

- Estresse no sistema nervoso central provocando distúrbios;

- Tempo insuficiente para reparar os micro-traumas no músculo esquelético provocados pelo exercício.

Efeitos maléficos:

- Perda de condicionamento físico;
Dor muscular persistente;
Sensação de fadiga crônica;
Elevação significativa da frequência cardíaca em repouso;

- Mudança de humor;
Queda da resistência imunológica;

- Perda da qualidade do sono;

- Diminuição da libido.

 

Como evitar a “Overtraing Syndrome”?

O segredo para evitar a “Overtraing Syndrome” centra-se, no que se refere ao treinamento, está na periodização do mesmo. Periodizar significa a dividir a temporada em períodos e etapas de treino com objetivos, orientações e características particulares, o que implica a definição de procedimentos e orientações de treino específicos. Faz parte da periodização alternar períodos de maior e menor intensidade e volume de treino, bem como utilização de métodos de treino distintos, estando estes relacionados com o período e objetivo de cada etapa. A periodização, portanto, constitui-se numa das etapas mais importantes do planejamento do treino, uma vez que influi de forma decisiva na organização e estruturação do mesmo.

Portanto, o problema não está em treinar muitas vezes e sim em não ter as variáveis do treinamento controladas.

Lembre-se: para ser saudável precisa de apostar em três pilares: boa alimentação, descanso adequado e exercício físico bem orientado.